Pesquisa personalizada

Granito

Os granitos em Portugal abundam na região Norte e Centro.O granito resulta da solidificação do magma a grandes profundidades (rocha magmática plutónica). As rochas que o envolvem, impedindo a libertação do calor, não permitem um rápido arrefecimento do magma, retardando a sua solidificação. Desta forma, os minerais que o constituem têm o tempo necessário para se desenvolver, apresentando-se assim, esta rocha, com uma textura granular em que os minerais constituintes são bem visíveis e identificáveis: o quartzo, os feldspatos (ortoclase, sanidina e microclina) e as micas (biotite e moscovite).
O Granito é das rochas ígnias mais abundantes em Portugal estendendo-se pela parte central do País. Desde sempre, o granito foi utilizado em especial na construção e habitações, cobertura de pavimentos, etc... Estas peças e granito tinham contra si o facto de apresentarem suprefícies rogosas pouco agradáveis ao tacto.
O advendo da moderna tecnologia permitiu serrar o granito em suprefícies lisas e sobre tudo polidas abrindo assim ao granito uma nova era, passando este a figurar entre as pedras ornamentais e competir com os próprios mármores, dada a sua resistência ao choque, ao seu brilho e risco.
Junto à aldeia da Castanheira (freguesia de Albergaria da Serra- 146 habitantes), no limite sul do concelho, ocorre aquele que é, o mais conhecido fenómeno geológico da Arouca, as pedras parideiras. Trata-se de um pequeno (1000 x 600 m) afloramento de granito com abundantes nódulos discóides e biconvexos de biotite, que se libertam da rocha-mãe por termoclastia, acumulando-se no solo. Os nódulos, de 1 a 12 cm de diâmetro, tem a mesma composição mineralógica do granito, pois embora constituídos exteriormente apenas por biotite, possuem um núcleo de quartzo e feldspato potássico.Este tipo de granito é único em Portugal e raro no mundo. O granito da Castanheira é considerado uma "anomalia" do granito da Serra da Freita.
Em Portugal é possível encontrar uma diversidade de paisagens cuja beleza natural foi sendo moldada, ao longo do tempo, pelos diferentes tipos de rocha que constituem cada um dos recantos do país.Nas regiões graníticas, como é o caso da Serra da Peneda-Gerês ou da Serra da Estrela, sobressaem os caos de blocos, formações resultantes da meteorização ao longo dos planos das fissuras da rocha. Estas fissuras, provocadas por redes de diaclases, favorecem a circulação de águas de infiltração, que vão arredondando e arenizando progressivamente estes blocos.Também as bolas graníticas e as pedras bolideiras têm origem no mesmo processo de meteorização, constituindo por vezes ex-libris turísticos das paisagens em que se inserem.

1 comentário:

André Vieira disse...

Portugal é um país de excelência na área do granito. Penso que o estado deveria apostar mais neste sector permitindo o uso de gasóleo verde. Numa altura em que o sector primário quase desaparece, é um crime deitar fora tantos postos de trabalho num país rico em matérias primas de qualidade, já é tempo de finalmente dar valor ao que é nosso e que pode gerar um salário a muitas pessoas que já passam fome!