Pesquisa personalizada

S. Bento da Porta Aberta

São Bento nasceu na cidade italiana de Núrsia, em 24 de Março do ano 480. Filho de uma família nobre e cristã, é enviado para Roma para completar os estudos. Decepcionado com o estilo de vida da cidade, parte para o monte Subiaco, onde numa gruta, durante 3 anos, se dedica à reflexão. Seguidamente, funda a Ordem Beneditina, cujo lema está espalhado na celebre regra "Ora et Labora" - Reza e Trabalha.

Após uma vida consagrada a Deus e aos outros, realizando prodígios e milagres, morre a 21 de Março de 547.

Proclamado como "Padroeiro da Europa" e Patriarca dos Monges do Ocidente, atrai milhares de peregrinos a cada santuário onde é venerado.

O santuário é dedicado a São Bento, santo milagreiro do século V, fundador da Ordem Beneditina e infatigável combatente de Satanás, muito querido entre os fiéis pelos seus múltiplos talentos, que incluem a protecção de animais domésticos e de automobilistas.

A antiga capela foi ficando pequena para abrigar o número crescente de fiéis, forçando a Irmandade a construiu um novo templo, inaugurado em Outubro de 1998. Implantado na encosta, o edifício surpreende pelo arrojo e modernidade. Chegando ao largo da Igreja, vê-se o telhado e um obelisco de vidro. Descendo pelos elevadores, ou pelas escadarias, entra-se no templo, uma nave grandiosa, paredes de vidro, tecto de madeira clara, colunas de concreto enfeitadas com mosaicos de cores suaves, altar de design sofisticado. Ladeando o templo uma galeria com azulejos modernos, representando cenas da vida de São Bento. O conjunto é, no mínimo, inesperado. Percebe-se a funcionalidade e a nobreza dos materiais, mas estranha-se a ausência do recato e da severidade dos locais de culto tradicionais. Indiscutivelmente, merece uma visita.

Outro local de peregrinação bem conservado, que segundo se crê é ainda mais antigo, é a Senhora da Abadia, em plena serra, situado num recanto de vegetação luxuriante, talhado para a meditação. Tem uma via crucis notável, constituído de doze capelas diferentes, oferecidas pelos devotos. Além da Igreja e do Mosteiro, existe um pequeno museu, aberto ao público.

A região foi, desde sempre, terra de muita fé. Já antes da fundação de Portugal, era couto dos frades Beneditinos, mais tarde substituídos pela Ordem de Cister. A sede da confraria estava localizada no mosteiro de Santa Maria de Bouro, imponente construção do século XII, onde actualmente funciona uma Pousada da Enatur.

Se quiser descansar uns dias, a estalagem de São Bento, em São Bento da Porta Aberta, a 3 km das duas pontes, oferece razoável conforto por preços módicos. Pertence à Irmandade de São Bento, tendo por objectivo alojar peregrinos, pelo que convém reservar com grande antecedência para os meses de verão para o telefone 00351 253 390 150. Já a Pousada de Santa Maria de Bouro, inaugurada em 1997, é explorada pela Enatur e está situada na estrada para Amares, a 20 km das duas pontes. A adaptação do antigo Mosteiro de Santa Maria de Bouro é das mais bem conseguidas no género. Reservas no telefone 00351 253 371 971.

Oração de São Bento:
Dá-me, benigníssimo Jesus,
A inteligência que Te entenda,
A sabedoria que Te encontre,
O espírito que Te ame,
O ato que Te glorifique,
Os ouvidos que Te ouçam,
Os olhos que Te vejam,
A língua que Te louve,
A paciência que suporte os males permitidos por Ti.
Dá-me Tua presença;
Dá-me a feliz ressurreição, e como prêmio,
A vida eterna.
Amém!
Rogai por nós, glorioso Patriarca São Bento,
Para que sejamos dignos das promessas de Cristo!


Oração para alcançar alguma graça:
Ó glorioso Patriarca São Bento, que vos mostrastes sempre compassivo com os necessitados, fazei que também nós, recorrendo à vossa poderosa intercessão, obtenhamos auxílio em todas as nossas aflições, que nas famílias reine a paz e a tranqüilidade; que se afastem de nós todas as desgraças tanto corporais como espirituais, especialmente o mal do pecado. Alcançai do Senhor a graça que vos suplicamos, finalmente, vos pedimos que ao término de nossa vida terrestre possamos ir louvar a Deus convosco no Paraíso. Amém

Espigueiros do Gerês


O espigueiro, também chamado canastro ou caniço, é uma estrutura normalmente de pedra e madeira, existindo no entanto alguns inteiramente de pedra, com a função de secar o milho grosso através das fissuras laterais, e ao mesmo tempo impedir a destruição do mesmo por roedores através da elevação deste. Como o milho requer que seja colhido no Outono, este precisa de estar o mais arejado possível para secar numa estação tão adversa como o Inverno. No território de Portugal Continental, encontram-se principalmente a Norte.
Em Lindoso podemos apreciar, junto do inponente castelo, um conjunto impressionante de espigueiros, o maior conjunto nacional, com quase uma centena de exemplares.